Nada é Definitivo!

"Como o nome do Blog diz, não existe uma única verdade, portanto, sempre temos que investigar tudo o que nos dizem sobre a história, para que possamos chegar mais próximos de uma verdade. Este blog é apenas um dos vários caminhos que existem, sejam bem vindos."

quinta-feira, 8 de junho de 2017

REIS FAMOSOS.


O poder dos reis do passado.

Os reis do passado tinham grandes poderes, esses soberanos eram servidos por todos os seus súditos.
Um bom exemplo de rei com grandes poderes absolutos foi Luís XIV, que governou a França e Navarra por 72 anos, seu reinado teve início em 1643 e terminou com sua morte em 1715, ficou conhecido com “Rei Sol” e lhe é atribuída uma famosa frase “O Estado sou Eu”.

Luís XIV - Rei Sol

Luís XIV, convidava os nobres a viverem em sua luxuosa corte de Versalhes, mas para isso, estes tinham que tornassem seus devotados servidores.
A vida da corte tinha normas que eram estabelecidas pelo próprio rei. Pela manhã, o rei já era bajulado por vários cortesões assim, cada um deles tinha uma tarefa específica: tinha o que trazia a meia do pé, outro que lhe calçava os sapatos, outro que arrumava sua cadeira etc. (eram os famosos puxa-sacos).
“Falando em puxa-sacos, você sabia que essa expressão teria surgido nos quartéis? É que os soldados rasos eram obrigados a carregar o saco dos suprimentos próprios e também o dos seus superiores hierárquicos, nas rotinas diárias e nas saídas a campo de treinamentos e missões.


Voltando ao nosso personagem, Rei Luís XIV, vamos elencar algumas curiosidades de sua pessoa:
A banheira que Luís XIV mandou instalar no Palácio de Versalhes, por absolutamente falta de uso, foi convertida em fonte de jardim, dizem que o rei tomou poucos banhos durante sua vida toda.

Palácio de Versalhes

Os sapatos de salto alto, indispensáveis para as mulheres elegantes, foram ideia dos artesãos palacianos do seu governo. 
Tudo o que o rei usava imediatamente se tornava moda. Um bom exemplo foi durante a Renascença, Luís teve contado com um diamante, a pérola era considerada a mais nobre das joias. E foi assim que em um belo dia um joalheiro mostrou ao monarca um diamante que havia trazido da Índia, e ele se apaixonou pela pedra. Em 1669, gastou o equivalente a 75 milhões de dólares para comprar todos os diamantes disponíveis e os tornou objetos desejados na Europa inteira.
Foi Luís XIV que construiu o Palácio de Versalhes. Trabalharam sempre simultaneamente em Versalhes mais de 30.000  homens, muitos dos quais não eram pagos ou executavam trabalhos forçados. As  condições em que trabalhavam e viviam provocavam epidemia, onde muitos morreram. Eram frequentes os acidentes mortais na construção dos  edifícios, e as febres consequentes dos pântanos causavam numerosas baixas. Até o próprio rei Luiz XIV, incomodado pelo número de mortos, proibiu expressamente os seus cortesões de discutirem o assunto.
E por fim nosso personagem gostava durante uma refeição de comer uma média de 4 pratos de sopa, dois faisões inteiros, 2 pedaços de presunto, 1 salada, carne de cabrito com alho, frutas, doces e 1 ovo cozido. Depois que ele morreu, descobriu-se que seu estômago era 2 vezes maior que um estômago normal.

Professor David - Pós-graduado em História.


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Os Vikings.


Vocês sabem quem foram os Vikings?

Era um povo muito temido do seu tempo, eram grandes navegadores, ficaram conhecidos também por normandos (homens do Norte), porque sua origens eram as regiões frias do Norte da Europa (atuais Suécia, Dinamarca e Noruega).

Guerreiro Viking


Suas embarcações são muito conhecidas nos tempos atuais devido aos parques de diversões (lembram). Pois é, com essas embarcações eles avançaram até a Irlanda, Inglaterra, Islândia, Groelândia e, segundo estudos mais recentes, teriam chegado a América por volta do ano 1000, olha aí a casa do Cristóvão Colombo caindo hahaha...

Embarcação Vikings


Chegaram também na França, por isso existe uma região naquele país conhecida por Normandia,( lembram da invasão do dia D na 2ª Guerra Mundial?).

Os vikings chegaram à Itália no século XI. Em 1059, Roberto, conhecido como astuto, conquistou a Itália meridional (parte sul da Itália para quem não é chegado na geografia hahaha...) tornando-se rei de Nápoles, (viu não é o Maradona...), e em 1130 o compatriota Rogério tornava-se rei da Sicília (aquela ilha no bico da bota da Itália).

Sicília por inteiro



Professor David / Pós-graduado em História.

Os bárbaros.


Vocês sabem quem foram “os povos bárbaros”?

Para os antigos gregos e romanos, os “bárbaros” eram os estrangeiros, ou seja, todos aqueles que não falavam a sua língua.

A partir do século quatro depois de cristo os “bárbaros” invadiram o território do império romano.

Sendo que no ano de 476, o imperador romano Rômulo Augusto foi deposto por Odoacro, líder de um desses povos.


Imperador Rômulo Augusto


Esses bárbaros vinham de regiões da Europa da parte Norte e  Oriental, para fugir do avanço dos hunos, provenientes da Ásia (maior líder Huno, foi Átila).



Os bárbaros não tinham uma organização social, não tinham leis, eram nômades (não tinham lugar fixo de moradia) e acampavam aqui e ali, em bandos.

Estavam à procura de novas terras para ocupar e, principalmente, para aproveitar suas pastagens. Quando os bárbaros chegavam, as pessoas fugiam apavoradas, pois eles destruíam tudo, estupravam as mulheres, queimavam as vilas e saqueavam seus pertences. Daí o uso constante nos dias atuais de barbaridade, crime bárbaro etc.

Os povos bárbaros mais conhecidos foram: Alanos, Anglos, Alamanos, Burgúndios, Francos (lembram de Carlos Magno), Frísios, Godos, Visigodos, Ostrogodos, Hérulos, Hunos, Lombardos, Lusitanos (região de Portugal, daí os portugueses serem conhecidos como lusos), Rúgios, Saxões, Suevos, Teutões, Vândalos (daí que surge a denominação nos dias de hoje quando o pessoal quebra as coisas nas ruas).

Professor David – Pós-graduado em História.